Linux Educacional e Pandorga

4 nov

Vejam dois excelentes sistemas operacionais gratuitos, que vêm com vários programas educativos e jogos.
Tudo grátis, e distribuído pelo governo brasileiro.

Vale a pena conferir os programas, e montar seu pen drive ou CD, para experimentá-los, sem interferir com seu sistema operacional base.

Deem uma olhada em nossa análise-experimento:

http://dl.dropbox.com/u/46161145/LinuxEdu_Pandorga-Karla_OLivia-20out11.pdf

ISSUE e MyPlick

4 nov

Issuu_MyPlick-Karla_OLivia-24ago11

Vejam a análise que minha colega Karla e eu fizemos das ferramentas web 2.0:

1) ISSUU, na qual você publicar seus textos, apresentações, revistas, etc., na web, formando uma estante que você pode compartilhar; e

2) MyPlick, uma interessante e rápida maneira de unir suas apresentações a arquivos de voz ou música.

Vale conferir nossas experimentações!

EAD: o que há por aí?

16 ago

Existem muitos cursos oferecidos a distância.  Daí, a dificuldade em decidir qual curso fazer.  Como já fiz vários tipos diferentes de cursos a distância, muitos amigos me pedem ajuda para saber sobre esse ou aquele curso.

Resolvi então criar esse blog para comentar os diversos tipos de cursos que existem, como são seus planejamentos e estruturas.  Desde cursos gratuitos até os mais caros.

Vejam os próximos posts.

Bjs.

Cadê a crase? (ou o porquê de Educação A Distância)

16 ago

Por que o “a” de Educação a Distância não tem crase?

Primeiro, vamos lembrar que a crase é a fusão do “a” artigo com o “a” preposição.  A fusão em si.  O acento que indica a ocorrência da crase é o acento grave.  Assim, a ausência do acento grave demonstra que não ocorreu a crase naquele “a” em questão.

Pois bem, resolvida a pergunta, vamos à resposta.

Nos primeiros cursos a distância, usava-se o acento grave.  Depois, o uso comum “optou” por removê-la.

A explicação é que a palavra “distância” da expressão não é uma “distância” específica; ou seja, não deve vir precedida do artigo definido “a”.  Com isso, só sobrou para a EAD o “a” preposição.  Como só tem um “a”, não há fusão, logo não há crase, logo não se deve colocar o acento grave.  Sacou?

Esteja atualizado, não use o acento grave: Educação a Distância.

(Gosto também da solução da PUC Minas: Educação Sem Distância – mas isso eu comento depois…)